Reenquadramento: Ou servidores lotam o CNMP nesta quarta ou Lauro vai levar a melhor

A coordenadora Ana Paula Cusinato e servidores do MPU acompanharam, nesta terça-feira (17), no CNMP, o julgamento dos embargos de declaração propostos pelo secretário-geral da PGR, Lauro Cardoso, e tiveram certeza de que a pressão da categoria será decisiva para superar os obstáculos que têm adiado o pagamento do reenquadramento.

O relator, Alexandre Saliba, conforme dito ao Sindjus, pediu a inversão da pauta e o processo foi o segundo item da pauta. O conselheiro Luiz Moreira interrompeu a leitura do voto, que era feita pelo relator, para afirmar que os embargos não poderiam ser apresentados pelo Secretário-Geral da PGR, Lauro Cardoso, de forma que pediu aos conselheiros que votassem pelo seu não conhecimento, isto é, pela sua não admissibilidade.

A preliminar levantada por Moreira gerou polêmica e discussão entre os membros do CNMP. O conselheiro Mario Bonsaglia pediu vista. É válido lembrar que Bonsaglia é representante do MPF e que já havia pedido vista no processo do reenquadramento, no dia 6 de agosto, prejudicando a votação. Coincidência ou não, assim como Lauro vem tentando obstruir a aplicação do reenquadramento com mais dois padrões.

Enquanto Bonsaglia pediu vista, outros conselheiros pediram para antecipar o voto. Além disso, solicitaram que, mesmo com vista, o processo volte à pauta desta quarta-feira, para que os servidores não acumulem maiores prejuízos.

Situação indefinida

Embora sete relatores já tenham antecipados seus votos – favoráveis à preliminar levantada pelo conselheiro Moreira, abrindo assim caminho para a consolidação definitiva do reenquadramento pelo plenário do CNMP, os conselheiros podem mudar seus votos.

Sendo assim, é fundamental que os servidores atendam ao chamado do sindicato e compareçam ao Plenário nesta quarta-feira. O Sindjus parabeniza os servidores que foram até o CNMP e pede que eles retornem nesta quarta levando muitos colegas.

Pressão

“Precisamos pressionar os conselheiros. A vitória não está definida. E há muita pressão por parte de Lauro para que o reenquadramento fique pelo caminho. Por isso, precisamos abraçar essa luta com muita determinação. Vamos ao CNMP, nesta quarta, cobrar o que é nosso por direito. Ou lotamos o Plenário ou Lauro vai protelar mais uma vez esse pagamento”, afirmou a coordenadora Ana Paula Cusinato, que conclamou todos os servidores do MPU a defender, nesta quarta, a não admissibilidade dos embargos propostos por Lauro.

Transporte

Assim como aconteceu nesta terça-feira (17), o Sindjus disponibilizará transporte, a partir das 9h, na entrada do estacionamento externo da PGR (Bloco F), com destino ao CNMP. Mobilize seus colegas!

🔥13 Total de Visualizações