Sindjus-DF intensifica campanha no Congresso Nacional contra a PEC 287

Como parte da luta contra a Proposta de Emenda à Constituição nº 287/2016, o Sindjus-DF iniciou esta semana uma agenda de reuniões com os integrantes da bancada do Distrito Federal no Congresso Nacional. O sindicato pretende, nos próximos dias, se reunir com deputados e senadores para tentar convencê-los a votarem contra a proposta de reforma da Previdência, atualmente em tramitação na Câmara dos Deputados.

Nesta segunda-feira (20/03), o coordenador Geral Costa Neto, acompanhado dos coordenadores Jurídicos Chico Vaz e Neuza Ferreira se reuniram com o deputado federal Izalci Lucas (PSDB/DF), em seu gabinete. Na conversa, os dirigentes solicitaram ao deputado que vote contra a reforma da Previdência. Os coordenadores do Sindjus apresentaram material em defesa da Previdência, com números demonstrativos de que ela é superavitária, e destacaram a necessidade de apoio da bancada do DF para derrubar a reforma apresentada pelo governo.

Após ouvir os argumentos dos representantes do Sindjus, Izalci afirmou que, do jeito que está, o texto da PEC não será aprovado na Câmara, mas disse considerar que a reforma é necessária, porém com possíveis alterações.

Após saírem do gabinete do parlamentar, os três coordenadores se reuniram para avaliar o resultado da conversa e chegaram à conclusão que é preciso intensificar, cada vez mais, a luta para forçar os parlamentares a tomarem posição contra a aprovação da PEC 287. Eles avaliam que, mesmo com alterações, a reforma, se aprovada, será altamente nociva para os servidores do Poder Judiciário e do Ministério Público da União, bem como para toda a sociedade e os trabalhadores do país.

O Sindjus-DF vai continuar lutando para que a reforma não aconteça e ressalta a necessidade de engajamento e unidade entre todos os sindicatos do PJU e MPU, Fenajufe e demais entidades sindicais do país, para que, juntos com os demais segmentos da sociedade, possam derrubar a PEC 287. Ressalta, ainda, a necessidade de a categoria voltar a se unir para fazer um trabalho de resistência dentro e fora do Congresso Nacional e nos aeroportos de todo o país. Para isso, os coordenadores sugerem a volta dos comandos de mobilizações, conforme ocorreu em 2015 durante a luta pela derrubada do veto 26 ao projeto de revisão salarial.

Além da campanha contra a reforma da Previdência, o Sindjus lembra também que há outra grande batalha contra a reforma trabalhista (PL 6867/2016) e a terceirização (PL 4302/1998), que avançam na calada da noite e na sombra da PEC 287 contra os direitos dos trabalhadores da iniciativa privada e do setor público.

🔥33 Total de Visualizações