Nota Pública: Sindjus-DF repudia propostas que ameaçam o salário dos servidores públicos e trabalhadores

Enfrentamos atualmente uma das maiores crises da sociedade moderna com a pandemia do COVID-19. Em todo o mundo, milhares de pessoas estão sendo infectadas e, muitas, morrendo.

Governos de vários países estão tomando diversas medidas para conter o vírus e ao mesmo tempo proteger a população e os trabalhadores, no sentindo de preservar empregos e a dignidade das pessoas.

Na contramão dessa realidade, o governo brasileiro já autorizou redução de salários dos trabalhadores da iniciativa privada, inclusive com a suspensão de contratos, e a mídia brasileira divulga notícias sobre supostos projetos de corte de salários dos servidores públicos.

Na última sexta-feira (20/03), o jornal O Globo publicou editorial sugerindo que o funcionalismo também precisa dar sua cota de sacrifício. Ora, o servidor público já sofreu recentemente o confisco de seus salários com a Reforma da Previdência, cujas alíquotas foram majoradas de 11% para até 22%.

O pânico em torno da doença não pode ser ainda mais agravado com medidas cruéis de cortes de salários dos trabalhadores e com a perda de empregos. Essas medidas adoecem ainda mais a sociedade e o País, pois a redução salarial dos servidores e dos trabalhadores implicará diretamente na economia, gerando ainda mais impacto negativo no orçamento de um universo de famílias e levando milhões de brasileiros à pobreza absoluta.

O caminho não é o de corte de salários e estímulo ao desemprego, mas do Estado atuar firmemente para preservar os empregos dos trabalhadores da iniciativa privada e os salários dos servidores públicos, de modo a manter aquecida a economia e que ninguém seja ainda mais punido por conta dessa crise. É tempo de ser justo e se fazer justiça, cobrando dos grandes sonegadores e devedores da União. Esse montante faria uma enorme diferença se investido no sistema de saúde, salvando milhares de vidas.

O Sindjus-DF não vai aceitar que o governo brasileiro e a grande mídia ajam de forma irresponsável disseminando ainda mais pânico na sociedade e promovendo perseguição aos servidores públicos e aos trabalhadores. Não é porque o Congresso Nacional está trabalhando de portas fechadas que os parlamentares podem fazer o que quiserem, passando por cima da população e da Constituição.

Somos amparados por dispositivos constitucionais como o da irredutibilidade salarial que não podem ser ignorados ou modificados ao bel prazer dos governantes de plantão. Não vamos tolerar ataques ao bem maior e patrimônio de toda a sociedade que é o serviço público, tão criticado anteriormente e tão necessário neste momento de crise do Coronavirus.

O momento é de humanidade e solidariedade e não de perseguição e vingança.

O Sindjus-DF continuará atento, inclusive por meio de sua assessoria parlamentar, a todos os desdobramentos dessa crise e está pronto para combater todo e qualquer prejuízo aos serviços e servidores públicos.

🔥363 Total de Visualizações