Primeiro dia do Encontro Nacional dos Técnicos tem continuidade com painel sobre contexto histórico e aspectos jurídicos do tema

Ainda na noite da última sexta-feira (4/2), o Encontro Nacional dos Técnicos do Poder Judiciário e do Ministério Público da União teve continuidade com dois painéis que abordaram o contexto histórico do nível superior para técnicos e os aspectos jurídicos da demanda.

A abertura dos debates foi feita pelo coordenador jurídico do Sindjus-DF, Cledo Vieira, que realizou uma abordagem histórica da demanda desde o início, esclarecendo pontos como o fim da sobreposição, os primeiros encontros e as disputas internas sobre o assunto.

Cledo Vieira ainda pontuou alguns marcos da demanda dentro das entidades, como “NS Já” e os encontros, como o da Plenária da Paraíba. “No encontro da Paraíba também tiveram aqueles que eram favoráveis ao NS e os contrários ao NS. Na época, o entendimento que ficou foi a mudança de cargo sem tabela. Ou seja, sem a questão salarial. Foi assim que conseguimos a unidade, em 2015”, lembrou o coordenador jurídico.

Em seguida os debates tiveram continuidade com a palestra da servidora Leslie Andreia Vasconcelos Leite, delegada do Sindjus-DF, que falou sobre “Elementos de Defesa do pleito NS”. A delegada apontou algumas mudanças de cenário que têm propiciado a extinção do cargo de técnico dentro do Poder Judiciário e do MPU, como a Justiça 4.0 e a Reforma Administrativa.

“Com a implantação da Justiça 4.0 está havendo um enxugamento das atribuições que nós fazíamos. Estão mudando as nossas atribuições. Colegas, é muito sério! Sabe o que estou fazendo na minha seção? Estou trabalhando fazendo tarefas que incluem verificar se o robô está trabalhando direitinho, fazendo tudo certinho, para o robô tirar meu trabalho”, lamentou a servidora.

Leslie Vasconcelos ainda pontuou que os Sindicatos devem convocar a sua base, fazer estudo jurídicos e capacitar os técnicos para que assim a Administração não encontre desculpas para extinguir o cargo de técnico. “NS não é questão de valorização é questão de sobrevivência”, finalizou.

Ainda na primeira noite o advogado do Sinpojufes, Rafael Loio, falou sobre o aspecto jurídico acerca do tema 697 do STF. O especialista afastou a possibilidade de extinção do cargo de técnico, se alterado o requisito de investidura para nível superior.

🔥286 Total de Visualizações